7 maiores erros de gestão de pessoas que o RH deve evitar

A gestão do capital humano é um fator estratégico para o sucesso de qualquer empresa, especialmente se levarmos em consideração a competitividade cada vez maior do mercado. Por isso, é muito importante evitar erros que possam comprometer a saúde do negócio.

Diariamente alguns deslizes imperceptíveis são cometidos e podem prejudicar o relacionamento interpessoal. Falhas na comunicação interna, pouco engajamento da equipe e falta de clima organizacional podem comprometer os resultados de todo o time de trabalho.

Para que isso não aconteça, separamos algumas dicas especialmente para você, profissional de RH. Hoje vamos falar sobre os maiores erros de gestão de pessoas que o gestor deve evitar. Continue lendo e fique por dentro do assunto.

1. Negligenciar a comunicação interna

Em uma coisa os especialistas parecem unânimes: a falta de comunicação clara é uma das maiores causas de conflitos dentro de uma empresa. Para Peter Drucker, guru da administração, a falta de comunicação representa mais de 60% dos problemas e desentendimentos internos.

A ausência de meios para realizar a comunicação dentro da empresa não pode servir de desculpa para justificar esse cenário. Hoje existem diversos canais como intranet, TV corporativa, mural, redes sociais, blogs e aplicativos, que facilitam este processo.

É importante alinhar toda a liderança da empresa sobre o assunto, pois só assim, resultados reais poderão ser apurados. A comunicação interna pode acontecer de forma horizontal — entre os próprios colegas de trabalho — ou vertical — entre os líderes e seus liderados. O importante é que ela não deixe de existir dentro da organização.

2. Focar apenas em resultados

Sabemos que toda e qualquer empresa possui duas buscas constantes: aumentar os lucros e reduzir as despesas. Entretanto, tais metas não podem ser as únicas existentes, pois são pouco inspiradoras e, certamente, não vão engajar o time de trabalho.

Os objetivos de uma empresa não podem ser individualistas, com foco apenas em seus interesses. Eles devem ser elaborados em consonância com seus envolvidos, como clientes, colaboradores e investidores.

Então, responda: Qual o objetivo de sua empresa? Lembre-se que ele não deve trazer benefícios apenas para o seu próprio negócio, mas para todos os parceiros-chave da empresa. Com isso, você terá uma equipe mais engajada, com orgulho de vestir a camisa da organização, além de parceiros satisfeitos.

3. Não dar Feedback

Apesar de ser algo bastante simples, muitos gestores ainda não entendem a importância desta atividade para o alto desempenho dos colaboradores. A falta de um retorno franco, com foco no crescimento do profissional, pode ser o maior motivo para a baixa produtividade da equipe, e uma das maiores deficiências na gestão de pessoas de uma empresa.

O feedback deve fazer parte da cultura organizacional e proporcionar a todos os empregados a oportunidade de saber como anda seu desempenho e o que podem fazer para melhorá-lo. Um retorno sincero é sempre muito bem-vindo, desde que o líder saiba como fazer isso.

O feedback sanduíche é uma ótima ferramenta. Como em um sanduíche, que possui pão, carne e pão, o retorno ocorre da seguinte forma: elogio inicial, crítica construtiva e elogio final. Assim fica muito mais fácil falar dos pontos de aprimoramento de cada membro da equipe, e ainda incentivá-lo a melhorar.

4. Definir metas inatingíveis

Nada é tão irrelevante quanto metas que não podem ser alcançadas. Elas desmotivam os colaboradores e têm efeito totalmente oposto ao esperado. É muito importante que as metas sejam desenvolvidas de forma sistêmica, com base em análises do ambiente interno e externo.

Ótimas metas possuem cinco principais características: específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais. Este padrão, caracterizado por estes cinco pontos, é conhecido em todo o mundo como SMART (Specific, Mensurable, Attainable, Relevant, Time-Based), cujas iniciais, em inglês, formam a palavra “esperto, inteligente”, em tradução livre. Outro fato interessante é que as metas também servem como métricas de desempenho, para que os colaboradores se autoavaliem.

Para análise do ambiente interno e externo, uma importante ferramenta é a Matriz SWOT, sigla dos termos Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Tal ferramenta leva em consideração os pontos fortes e fracos da empresa; e as oportunidades e ameaças contidas no mercado. Assim fica muito mais fácil de se elaborar metas de sucesso e, principalmente, alcançáveis pela equipe.

5. Não reconhecer a importância da equipe

Infelizmente, muitos gestores apenas cobram por resultados expressivos, mas não celebram com seus subordinados as conquistas alcançadas. Isto, além de ser desagradável, é bastante desmotivador. Os empregados não podem ser vistos como simples ferramentas de trabalho, com acontecia no passado.

Hoje existem muitas formas criativas de recompensar o time, que vão além de uma viagem, um bem material. Períodos de folga remunerados, oferta de cursos em assuntos de interesse pessoal ou mesmo uma vaga exclusiva na garagem da empresa são recompensas criativas e de baixo custo.

O que não pode é deixar de compartilhar os louros da vitória, como se a equipe não fizesse parte das conquistas. Lembre-se de que são os colaboradores que tornam os objetivos realidade.

6. Deixar de avaliar o desempenho dos colaboradores

Não avaliar o desempenho da equipe é um dos erros na gestão de pessoas que pode custar caro para a empresa. A avaliação precisa contar com uma análise sistêmica das competências – conjunto dos conhecimentos, habilidades e atitudes – de cada colaborador.

Uma boa avaliação é realizada em 360 graus e leva em consideração a opinião dos subordinados, superiores, colegas de trabalho e até mesmo dos clientes atendidos pela pessoa avaliada. Os resultados desta análise oferecem uma visão mais holística e clara aos gestores, o que facilitará a tomada de decisões importantes, como a de promover treinamento ou o desligamento de um empregado.

7. Falar pouco em meritocracia

Quando a meritocracia não faz parte da cultura organizacional, provavelmente, os colaboradores não se esforçarão para conquistar espaço na empresa. A meritocracia é parte integrante do sistema de gestão, que considera o mérito de cada pessoa e não a afinidade que o gestor tem ou deixa de ter por ela.

É importante falar sobre esse tema. Informe a equipe que esta metodologia é usada e, somente quem de fato se esforçar, alcançará posições maiores dentro da empresa. Com isso, você pode ter certeza que os resultados virão.

O mais importante na gestão de pessoas é se manter atento ao time. É preciso entender quais são as necessidades dos empregados, qual a melhor maneira de dar retorno sobre o desempenho, estimular a produtividade e o engajamento. Só assim você perceberá qual o melhor modo de construir uma comunicação interna eficaz e proporcionar o crescimento do negócio.

E então, agora que já conhece os maiores erros de gestão de pessoas, que tal continuar aprendendo? Assine nossa newsletter e receba conteúdos incríveis em seu e-mail. Vamos lá!

Fonte: http://employer.com.br/blog/7-maiores-erros-de-gestao-de-pessoas-que-o-rh-deve-evitar/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s